Casa Curta-SE

topo do site

Oficinas do Festival de Cinema Infantil educam e divertem crianças

 

Foto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeFoto: Victor BaldeO oficineiro Diego Carvalho / Foto: Victor BaldeOficina de Animação / Foto: Vinícius FontesMaria Luiza Damasceno e Júlia / Foto: Victor BaldeEdênia Gois / Foto: Victor BaldeSávio vestido de Batman e Erick, de astronalta / Foto: Victor BaldeFoto: Victor Balde

Mesmo num final de semana bastante agitado – só na festa de abertura compareceram mais de 1500 pessoas –, o Festival Internacional de Cinema Infantil (Fici) ainda promoveu atividades com as crianças também fora das salas de cinema. No sábado, 1º, e no domingo, 2, foram realizadas, no Cinemark Jardins, duas oficinas de animação que aconteceram das 10h às 18h.


A oficina de animação, na qual as crianças fizeram desenhos para depois animá-los em sequência, utilizou fitas e círculos de papel em aparelhos que dão sensação de movimento às figuras. “O objetivo é mostrar como se iniciou o cinema, contar como ele se desenvolveu. As crianças ficam maravilhadas quando veem o desenho delas se movimentar”, disse o oficineiro Diego Carvalho, da produtora Copacabana Filmes.


“É uma iniciativa bastante interessante, que dá chance para aproveitar espaços de entretenimento e estimula a criança a assistir aos filmes”, comentou a assistente social Ana Lúcia Mendonça, que levou a filha Marina pela primeira vez ao Fici.  “Acho muito legal. É uma tarde diferenciada”, concordou Maria Luiza Damasceno, mãe da pequena Júlia. Júlia assistiu a ‘Ponyo – uma amizade que veio do mar’ e também participou da oficina.


A outra oficina revelou como funciona um dos mais famosos “truques” do cinema: a tela verde ou cromaqui, que serve de fundo no cenário e depois pode ser substituída por qualquer outro fundo no computador. Os meninos e meninas escolheram fantasias e fizeram pequenos filmes ambientados em florestas e planetas extraterrestres. “A gente tem bases de fundo e roteiros. A partir daí as crianças desenvolvem suas atuações”, esclareceu Diego Carvalho.


A atriz Edênia Gois leva o filho Erick, de dez anos, ao Fici desde que ele tinha três. “O mais novo, Sávio, vem desde que estava na barriga”, contou. “Eles se divertem bastante. Isso estimula a frequentar, a gostar da arte e até a criar um interesse profissional”, explicou, enquanto observava os filhos vestidos de super-herói e astronauta. Depois da brincadeira, Sávio prometeu dar continuidade à tradição da família: “Amanhã venho de novo, e o ano que vem também”.


Apoio
O Fici segue até o dia 9 de outubro em Aracaju. Incentivado pela Lei Rouanet, o festival tem patrocínio do BNDES, Petrobras, OI, McDonalds, Schin, Protex e Governo do Rio de Janeiro. A produção local é da Casa Curta-SE e conta com o apoio da Fundação Aperipê, Superlux, Portal Infonet, Shopping Jardins, Ativa Impressão Digital, loja Pinóquio e Fredd’s Lanches, com produção da Copacabana Filmes e realização do Governo Federal.

 

Veja a galeria de fotos das oficinas.

Por Ricardo Costa

Anote

fone2_menor

A Casa Curta-SE está com novo telefone. 

Anote: (79) 3085-7416.

 

ico_twitterico_youtubeico_faceboock

Centro de Estudos Casa Curta-SE

Rua O dois, n. 61, conj. A Franco, Bairro Farolândia, Aracaju-SE

CEP: 49030-296

Endereço postal:

Praça Dep. Pedro Barreto de Andrade, nº 75, Conj. A. Franco, Bairro Farolândia, Aracaju-SE

 Caixa Postal 3825